WEBMAIL | ÁREA RESTRITA
CSS based drop-down menu
 
 
Câmara realiza audiência pública para debater sobre o cigarro eletrônico  
 


>>26/04/2024

Em audiência pública proposta pelo vereador Doutor Issam Fares Junior, na noite desta quarta-feira (26), a Câmara Municipal de Três Lagoas debateu sobre o enfrentamento e o combate ao cigarro eletrônico e outras drogas ilícitas. Durante o evento, outorgou Título de Cidadão Três-lagoense para um dos palestrantes: Doutor Luiz Alberto Ovando, médico clínico geral e deputado federal pelo Mato Grosso do Sul.

Além deste, também palestraram: Sydnei Ferreira Ribeiro Júnior, presidente do COMAD (Conselho Municipal Antidrogas); Denise Fatima Barbosa Sousa e Silva, Presidente do CEAD (Conselho Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas); Elaine Cristina Ferrari Fúrio, Secretária Municipal de Saúde Pública; e Diniz Augusto Meneghetti Afonso, do Comitê Relações Públicas de Narcóticos Anônimos.

Estavam presentes o vice-prefeito, Paulo Salomão, representando o prefeito Ângelo Guerreiro, e Marizete Bazé, representando a Secretaria Estadual de Educação.

O vereador proponente declarou aberta a audiência pública falando sobre a importância do evento, realizado bem no Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas. Na sequência, Pastor Wellington Antunes Corrêa lamentou a descriminalização da maconha: “são dias ruins para a humanidade”.  

Começando os debates, Sydnei Ferreira Ribeiro Júnior, presidente do COMAD, lamentou que o plenário sem lotação de representantes de escolas para debater algo tão importante que são estes cigarros eletrônicos. “Não é só combater e reprimir, mas ensinar o porquê do ‘diga não às drogas’. Logo, não basta apenas dizer não”, destacou sobre a atuação preventiva do Conselho.

Sydnei Ferreira Ribeiro Júnior, presidente do COMAD, foi a segunda nos debates. “O Brasil com todas as questões que precisam ser melhoradas, é um dos países que tem cumprido seu dever. E o Mato Grosso do Sul também sempre na frente”, iniciou exaltando as legislações sobre prevenção estadual e federal. As drogas são ameaças a sistemas, a países.

Diniz Augusto Meneghetti Afonso, do Comitê Relações Públicas de Narcóticos Anônimos (NA), apresentou o programa do NA, explicou a doença e quem pode fazer parte: “quem tem o desejo de parar de usar”, ressaltou. Diniz deixou claro que o maior troféu da NA é uma pessoa recuperada: “e melhor forma de um dependente ver que é possível”.

O médico Doutor Luiz Alberto Ovando destacou que continua vivendo com os jovens, “agora com os netos”. O também deputado exaltou a escola pública, pois estudou em uma e explicou um pouco o significado por trás das drogas: “fuga da realidade. E quando fica dependente, é porque não tem mais coragem de enfrentar a realidade”. Defendeu então que se deve combater na base: “temos que combater qual a fuga”.

A natureza nos fez sobre dois pilares: dor e prazer. “Quando sentimos uma dor e vamos tomar um remédio, buscamos o prazer”, explicou Ovando. E quando se torna uma necessidade ter esse prazer, é um vício. A dependência pede um aumento da quantidade do objeto de prazer e a pessoa perde a capacidade de discernimento se consumiu pouco ou muito. “Perde-se neurônios e começa um quadro demencial. Ao descriminalizar a maior porta de entrada para drogas maiores, estamos em retrocesso”, defendeu.

Doutor Luiz apresentou todo um histórico sobre o cigarro no mundo, até chegar no Brasil. Mostrou gastos de saúde com cigarro convencional e, por fim, chegou ao cigarro eletrônico. “E é ainda pior, pois são ardilosos na divulgação, fazendo como se fosse algo bom e melhor, com essências para mascarar o gosto e os insumos tóxicos”, ressaltou.

Logo após as palestra, Doutor Luiz Alberto Ovando, médico clínico geral e deputado federal pelo Mato Grosso do Sul, recebeu o título das mãos do Doutor Issam e agora passa a ser Cidadão Três-lagoense. Em seu discurso de agradecimento, demonstrou muita gratidão: “não me considero merecedor, mas me sinto reconhecido”.

Finalizando, foi aberto para perguntas e respostas, possibilitando interação entre o público e os palestrantes. “Agradeço a todos vocês que estão aqui e são envolvidos nesse tema, nos ajudando nessa luta cada vez mais difícil, pois quando vencemos uma batalha, surge uma nova droga, com cheiro e sabores mais agradáveis pra gente lutar contra”, disse Salomão.

“Todas as políticas sobre esse assunto, tem que incluir a valorização da família, pois é de onde vem a primeira formação”, defendeu o vereador proponente ao encerrar a solenidade.

 

HOMENAGEADO

  • LUIZ ALBERTO OVANDO é casado com Clotildes de Moraes Ovando há 47 anos. Juntos, têm quatro filhos e 10 netos. Natural de Corumbá/MS, nascido em 25 de setembro de 1949. Graduado em Medicina desde dezembro de 1975 (48 anos) na UEMT, atual UFMS, em Campo Grande/MS. Serviço Militar em 1976/1977 no 17º. Regimento de Cavalaria em Amambai/MS e destacado para 3º Batalhão em Iguatemi-MS, onde cumpriu sua missão como militar e médico por um ano. Residente em Clínica Médica no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná em 1977-1979. Mestre em Cardiologia pela Universidade Federal do Paraná em 1980. Pós-Graduado em Cardiologia pela Universidade de Minnesota/EUA em 1986/1987. Especialista em Clínica Médica pela UFPR e Sociedade Brasileira de Clínica Médica. Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB - Associação de Medicina Intensiva Brasileira. Especialista em Geriatria e Gerontologia pela SBGG - Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Especialista em Cardiologia pela SBC – Sociedade Brasileira de Cardiologia. Especialista em Ecocardiografia pela Sociedade Brasileira de Ecocardiografia - SBC. Especialista em Medicina Esportiva pela Sociedade Brasileira de Medicina Esportiva. Ex-Professor de Clínica Médica da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Eleito Deputado Federal pelo PSL em 2018. Reeleito Deputado Federal pelo PP em 2022. Membro da Academia de Medicina de Mato Grosso do Sul.


 
 
27/06/2024 22:12
26/04/2024 22:00
25/06/2024 11:11
24/06/2024 20:45
21/06/2024 22:42