WEBMAIL | ÁREA RESTRITA
CSS based drop-down menu
 
 
Políticas públicas para os esportes são tema de audiência pública na Câmara de Três Lagoas
 
Medalhista olímpica Ana Moser trouxe experiências para o setor


>>30/06/2022

Palestra de Ana Moser e gestores mostram caminhos para democratizar e proporcionar práticas esportivas a toda comunidade

Como deve ser o modelo público de esportes? Para responder a esta e outras perguntas, a ex-atleta campeã olímpica de voleibol, Ana Moser, fez palestra na Câmara Municipal de Três Lagoas, na última quarta-feira (29), durante a I Audiência Pública do Esporte, promovida por propositura do vereador Professor Negu Breno.

Após discorrer sobre sua carreira pessoal, contando os altos e baixos, assim como os motivos que levaram às conquistas, Ana Moser relatou as experiências junto ao Instituto Esporte e Educação.  “O que acho importante é o que faço hoje, não o que fiz antes”, afirmou, ao explicar que sua ação de alegrar o país teve relevância, porém elevou as consultorias e assessorias que presta no país inteiro, auxiliando no desenvolvimento de políticas públicas e ações diretas de impacto na vida de crianças e adolescentes.

“Esportes deve ser para todos e incluir todas as diversidades. Ensinamos como dar educação física ou promover projetos de esportes para todas as idades, dentro da diversidade. Começa que todos têm que estar incluídos e que as diferenças devem ser consideradas. Além disso, tudo se constrói coletivamente, desenvolvendo autonomia e dando voz a todos. A ideia é a educação integral, que entende corpo e mente”.

Ana Moser destacou princípios e estratégias que são utilizados por suas equipes, fazendo paralelos sobre a possibilidade de aplicação na administração pública. Também ressaltou a importância de formar professores multiplicadores e de o esporte estar presente em várias pastas, com educação, cultura, assistência social e saúde.

A atleta também falou sobre as legislações para regulamentar e definir uma política nacional para os esportes, algumas em tramitação no Congresso e outras que ainda deverão ser elaboradas. Ela afirmou que o setor público conhece bem o perfil dos esportes de alto rendimento, voltado a competições, mas ainda tem pouco conhecimento sobre esportes como ação para toda a população. “No máximo, 4% da população está envolvida com esportes”, afirmou. Para ela, o esporte de alto rendimento e as medalhas e títulos só têm importância se refletirem a prática na base. ”Se não expressa a sua base, é injusto e desconexo. Os títulos do voleibol só fazem sentido se tiver voleibol nas escolas e nas praças”, opinou.

Em resposta a pergunta da plateia, sobre o que os governantes precisam fazer para ter esportes de qualidade, Ana Moser informou que basta fazer perguntas simples para oferecer os indicadores a serem usados como base para a política local: quantas crianças são ativas, quantas são sedentárias e, no caso das ativas, quantas horas de atividade fazem por semana. Ela lembrou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza pelo menos uma hora por dia, somando cinco por semana. “Partindo destes parâmetros, como está? E daí, a meta dos governantes passa a ser oferecer pelo menos de 3 a 5 horas por semana de atividade física. E fornecer o que precisa para isso: material, espaço, professor e vontade política”, afirmou.

A audiência pública contou com a presença do presidente da Câmara, vereador Dr Cassiano Maia; vereadora Evalda Reis; Antônio Rialino, secretário da Sejuvel; Marcelo Miranda, ex-presidente da Fundação Estadual de Esportes (Fundesporte); Gilbert Scharnik, diretor do Centro de Referência Esportiva (CRE-TL), além de vários representantes de entidades ligadas a modalidades esportivas, no município.

Antônio Rialino relatou sobre os trabalhos desenvolvidos pelo município, sejam em projetos, escolinhas, aquisição de materiais, contratação e capacitação de professores e instrutores, apoio a atletas e equipes esportivas, além de investimentos em estrutura de prédios e espaços. “Tivemos um baque duro, pela pandemia, foi quase um ano sem poder movimentar o esporte no município e estamos retomando para cumprir a missão”, explicou.

O diretor do Centro de Referência Esportiva, Gilbert Scharnik, afirmou que a ex-atleta e seus projetos foram estímulo para a Petrobras investir cerca de R$ 20 milhões para proporcionar esportes para crianças de Três Lagoas e capacitar mais de 800 professores de educação física. Scharnick disse que acompanhou grande desenvolvimento dos esportes na cidade, nos últimos oito anos, e sugeriu que haja esforços para elaborar um plano municipal para o setor, de forma que o projeto seja de longo prazo e não dependa do administrador municipal que for eleito. “Que não seja a sorte de um gestor, mas que seja lei para garantir esporte de qualidade a todos e todas”, opinou.

O vereador proponente da audiência pública, Professor Negu Breno, disse que uma das suas metas é estar à frente de iniciativas e projetos de esportes. “Esta audiência tem o propósito de ouvir os profissionais e atletas. É para escutar vontades, metas, necessidades e, a partir disso, propormos projetos efetivos”, disse  

Já o presidente da Câmara, Dr Cassiano Maia, refletiu que a audiência é a importante  ferramenta para se obter conhecimento que levem a promover evolução. Lembrou que o conceito de esportes, nas décadas de 70 e 80, era associado apenas a grandes talentos, porém pontuou que a visão tem mudado, pensando que deva ser associado à comunidade como um todo. Ele propôs que os gestores, em todas as esferas, precisam desenvolver conhecimentos e estender o sistema tripartite também para o setor, incluindo saúde, lazer e educação dos jovens e crianças.

Marcelo Miranda, que esteve por sete anos à frente da Fundesporte também descreveu os projetos e ações desenvolvidos pelo governo do Estado e convidou a todas as iniciativas do terceiro setor a se formalizarem e se cadastrarem para pleitear recursos estaduais, por meio de editais que são publicados anualmente. Também informou que, atualmente, MS conta com emenda parlamentar direta para uso em esportes.

O jornalista e professor de educação física, Juvenal Moreira, também usou a tribuna e contou histórias dos esportes no município e da importância dos clubes sociais e esportivos, assim como de alguns atletas que fizeram história em Três Lagoas, localidade que ele considerou “celeiro de atletas”.

A íntegra da audiência está postada no canal Câmara Três Lagoas, no YouTube e pode ser assistida a qualquer momento.



 
16/11/2022 12:10
08/11/2022 12:09
01/11/2022 11:50
27/10/2022 11:00
25/10/2022 10:10